Becos da minha mente...

Sinto as cores a fugir…
Vejo-as a fugir dos meus olhos!
Tento falar mas em vão…
Nada do que eu possa dizer te faz mudar de ideias!
Pega na tua mala e chama um táxi…
É tarde…1 hora… para onde vais agora?
Vais ficar com os teus amigos?
Eu preciso de saber!

Já se foi um cigarro…
Não, não devias estar longe de mim!
Estou a ir para onde penso que tu estejas,
Talvez ainda possa falar contigo…
Estamos de pé, frente a frente…
Antes que tudo se desvaneça
Ouvirei o coração, desta vez…
Tentarei mostrar-te a realidade!
É um eterno desassossego a minha vida…
Se tu partires, eu parto também!

Percorro todos esses becos citadinos…
Enquanto tu percorres a minha mente!
Podem tentar impedir-me mas não vão conseguir!
Não antes de eu poder “falar” com a minha mente,
Se ainda restar tempo…
2 Responses
  1. poemar-te Says:

    Tens um espaço interessante. Como introduzes aas visitas e os contadores? Gostava de saber para integrar no meu. Obrigado


  2. poematar Says:

    O teu espaço éinteressante. Com introduzes os contadores e o total de visitantes? Gostava de integrar no meu. Obrigado.