Perguntas sem resposta!

Fiz como tu disseste,

Segui todas as tuas regras sem as questionar!

Pensei que isso me ajudaria a ver, claramente, a realidade

Mas eu olho em meu redor

E não consigo perceber nada, estou cego!


Tudo gira em meu redor, sem parar!

Eu próprio giro sem parar…

Completamente fora de controlo!


Para onde devo ir, diz-me!

Diz-me o que devo fazer!

Não consigo perceber o que queres de mim…

Porque, na verdade, não sei se devo confiar em ti,

Não percebo o que queres de mim.


Desde o princípio pensei que a tua presença fosse perene!

Para me fazer ver que não estou sozinho

Mas o triste facto é que eu estava…


E eu nunca vou saber a verdadeira resposta

Para este mistério sem fim!

Foto: Girar de um Mundo de Sara Santos
9 Responses
  1. Deprisa Says:

    Es un poema de muy libre interpretación, pero yo creo (a lo mejor me equivoco, no lo sé) que habla de las dudas y la decepción que siente uno cuando sigue una religión, y ésta no acaba de llenarnos.

    De pequeña recibí una educación religiosa, y ahora mismo soy atea, porque las normas no me cuadran con la realidad...

    Un saludo,
    Deprisa


  2. Ca Delicious Says:

    Aprendi que a solidão e o silêncio são um estado de maturidade que precisava. A vida é tão fugaz. Vive-a.


  3. Olá Sandro, estou conhecendo seu blog hoje, parabéns pelas escolhas. Voltarei
    Um grande abraço


  4. Muito obrigado a todos os que por aqie passam e deixam a sua marca! Um bem haja a todos... abraços e beijinhos! :D


  5. Obrigado Sandro , pela visita e por estar me seguindo. Um ótimo fim de semana para você.
    Abração


  6. Wanderley, um excelente fim de semana pra você também... abraço!


  7. dRiKa Says:

    Tenho um miminho para o teu blog no meu =)

    passa lá*

    beijo



  8. Silzinh@ Says:

    Este poema emocionou me bastante ;)
    es o meu melhor amigo e sabes que podes contar cmg para o q for preciso :P
    beijo adorote