Cumprir o dever...


A noite cessou e a luz mais uma vez rompeu,
Uma rotina que já testemunhei diversas vezes!
Tenho por costume olhar as estrelas,
Vê-las nascer e morrer no céu!

Noites que atiro para o caixote do lixo,
Ora porque os olhos não querem cerrar
Ora porque a cabeça não pára de cismar!
E tenho dores já…

Dores de cabeça!
Tenho virado e revirado as lembranças da infância,
Tenho previsto o futuro tão minuciosamente
Que o medo de falhar é enorme!

Não sei se estou preparado para correr riscos,
Não sei se conseguirei viver com o meu falhanço!
Não suporto a ideia de desiludir quem quer que seja
Quanto mais desiludir-me a mim próprio…

Mas quero também poder olhar para trás
E poder dizer que venci,
Poder dizer que cumpri o meu dever,
Que vivi…

Foto: Olhar para trás de Gonçalo Telo
2 Responses
  1. Mikashitaka Says:

    vejo no meio de tuas palavras tamanha melancolia de sentimentos, contudo uma restia de esperança contida bem resguardada lá no fundo do teu ser... se hoje tropeças e cais , logo a seguir levanta te e segue em frente, e se voltares a cair , não desistas, levanta te de novo e caminha ...existe um verso que costumo dizer mts vezes , ... olha para frente , não olhes para tras , o passado ja o viste o futuro vê-lo-as....


  2. ☆Anjo☆ Says:

    Oi Sandro!!!! Que poema maravilhoso... Olhar para o futuro ou para o passado me dá tanto medo!!! E esqueço-me de olhar o hoje... Viver o hoje é a batalha pela qual todos os dias quero passar. Não posso mudar o ontem e nem prever o amanhã! Só me resta o hoje! é sempre maravilhoso prestigiar seu blog! Beijinhos bye bye
    Adorei o novo visual!