Foste embora pela janela aberta


A alegre brisa que entra pela janela,
Não é mais do que uma mensageira,
Percorreu longos caminhos,
Para me brindar com o teu amor.

Uma suave voz me entrou pelo ouvido,
Disse-me para acordar,
Tirou-me deste sonho quase perpétuo,
Chamou para a vida, um distraído.

Deixei-me contagiar por ti,
Primeiro o som melódico da tua voz,
Depois o teu olhar penetrante,
Seguido do teu sorriso astral,
E por fim, todo esse teu ser esplendoroso.

Que queria eu mais deste mundo,
Era amado e amava quem desejava,
Não caminhava perdido, vagabundo,
Tinha consciência dos passos a dar.

Agora, tudo teve um fim,
E apoiado na mesma janela (ainda aberta),
Procuro no sol restos de ti,
Mas nada, tudo passou, e eu aqui.
1 Response
  1. Letícia Says:

    Noossa que perfeito *-*. Parabéns.